Segunda-feira, 24 de Novembro de 2008

O Maestro

Francisco Manuel Roque Nunes nasceu a 18 de Outubro de 1969. Desde muito cedo despertou o interesse pela música e foi logo aos quinze anos, mais precisamente a 24 de Abril de 1984 que se estreou na banda pela mão do outrora conceituado Maestro o Sr. Júlio Nogueira.

Sempre destacou a tocar saxofone alto, instrumento aliás, que nunca largou apesar de ter assistido à passagem de quatro Maestros na sua caminhada, dos quais, apesar das suas diferenças, soube retirar e interiorizar os seus melhores métodos de trabalho.

Em 2005, impulsionado pelo então Maestro, o Sr. Joaquim Simões, apoiado por todos os elementos da banda, assim como pela direcção da mesma, decidiu frequentar o Curso de Direcção Instrumental na especialização de Composição e Instrumentação que teve lugar no Conservatório Regional do Baixo Alentejo na cidade de Beja. Neste, teve o privilégio de ser discente do Sr. Professor Roberto Perez que desde muito cedo compreendeu as qualidades do nosso Maestro e fez questão de o acompanhar de perto, sendo espectador atento nos primeiros concertos e espectáculos da banda sob a sua regência.

Sempre foi aposta inicial do Maestro, talvez pelo seu passado e pelas suas raízes, dedicar a maioria das suas horas disponíveis à banda, o que levou a que em pouco tempo a sociedade filarmónica se tornasse um grupo coeso e a escola de música uma realidade credível. 

Em dois anos entraram para a banda, saltando directamente da escola de música sob supervisão total do Maestro, dezanove promissores músicos, todos de tenra idade, sendo que actualmente mais quatro jovens recebem os ensinamentos do Maestro.

Apesar da curta carreira, é impossível não salientar o tremendo êxito que a sociedade atingiu no Encontro Internacional de Bandas que teve lugar nesta Vila a 26 de Abril de 2008 em que participou a nossa Sociedade Filarmónica Fim de Século, a Sociedade Musical Fraternidade Operário Grandolense e a Banda Municipal de Música “João Fernandez Vasquez”. 

Em muitos anos de activo sem nunca cessar, nunca se viu o povo tão entusiasmado e compenetrado com a Sociedade Filarmónica, factos a que certamente não são alheios o formidável esforço e dedicação do Maestro.

publicado por Sociedade Filrmónica Fim de Século de Barrancos às 13:52
link do post | Comentar | favorito
Sexta-feira, 14 de Novembro de 2008

Historial da Banda

 Vai decorrido um século desde o aparecimento da 1ª Banda que existiu nesta Vila de Barrancos, foi lá pelo ano de 1899, daí o nome de Banda Filarmónica "Fim de século".

No entanto, só em 1900 foi fundada a Sociedade Filarmónica, a primeira que existiu nesta localidade. Desde o início, até ao ano de 1917, período em que funcionou a 1ª Banda, dois regentes profissionais tiveram a tarefa de orientar os músicos da terra, sendo de louvar o trabalho do Regente Sérgio Augusto Meireles, autor do Hino de banda, que ainda perdura. Após um curto intervalo de alguns anos, em que as dificuldades económicas acabaram por "ditar leis", um grupo de apaixonados pela música reuniram esforços e, em 1923, reorganizaram a Banda, a 2ª que existiu na terra. Apesar dos esforços do Município, que adquiriu e recuperou instrumentos, esta segunda tentativa também acabou por fracassar, tendo ainda atingido alguns momentos de fulgor. Foi só em 1952, após uma nova reorganização, e com aprovação dos estatutos da Sociedade Filarmónica Barranquense, por parte do Governador Civil do Distrito, que esta Sociedade conseguiu endireitar-se, e manter-se em actividade até aos nossos dias. Pelo caminho ficaram momentos de glória e brilhantismo, pois a adesão massiva de sócios, no início, permitiu a contratação de bons regentes e, também, a inscrição da Banda na Federação Portuguesa de Colectividades de Cultura e Recreio. Alturas houve, já passado o entusiasmo inicial e com o fraquejar das receitas, que o Regente passou a ser um dos músicos mais antigos, mantendo-se esta situação por muitos anos. Só mais recentemente, nas décadas de 80 e 90, com a ajuda do poder local, foi possível contratar os serviços de um regente profissional, situação que alterou, para melhor, as prestações desta Banda. Actualmente, graças à renovação quase completa do instrumental, do fardamento e a um número razoável de elementos, a Banda Filarmónica "Fim de Século de Barrancos" desfruta de algum prestígio entre as suas congéneres da Região, facto a que não são alheios o empenho demonstrado por todos os seus executantes, pela Direcção, bem como a extrema dedicação do novo Maestro, o Sr. Francisco Roque Nunes, o qual se encontra a dirigir a Banda desde Agosto de 2006.
publicado por Sociedade Filrmónica Fim de Século de Barrancos às 15:32
link do post | Comentar | favorito

.Sociedade Filarmónica Fim de Século

.Novembro 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

16
17
18
19
20
21
22

23
25
26
27
28
29

30


.Posts Recentes

. O Maestro

. Historial da Banda

.Arquivos

. Novembro 2008

.Ligações

.Visitantes

Contador visita
pessoas

.Pesquisar